segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

DESOBEDIENCIA A DEUS: AONDE ELA NOS CONDUZIRÁ!



“Qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus?”
(1Pe 4.17)

Se dissermos que a obediência é uma característica natural em nós, estaremos mentindo. Revendo a história percebemos uma gama de ações repletas de excessos com o fim de alcançá-la. A maioria das forças políticas e ideológicas exigem obediência do povo tendo como único objetivo a manipulação, e este, ao identificar que foi enganado não aceita mais submeter-se às autoridades.

Somos propensos a não aceitar que desconsiderem a nossa vontade e muito menos a fazer o que os outros querem. A rebeldia tanto na família, como na vida profissional ou pública, prejudica as relações e a cooperação fica praticamente impossível.

Entretanto, existe uma Pessoa que requer de nós obediência irrestrita e absoluta, que não admite que um milímetro da Sua Autoridade seja contestada: O Deus Todo Poderoso!  Com Ele não há permuta: é sim sim, não não.

Um dia estaremos todos diante do Senhor, e perante o Seu Julgamento toda boca silenciará. Porém, Ele é O Deus de Amor e Graça e “não quer que de maneira alguma que alguns se percam” (2Pe 3.9), e exatamente por isso “anuncia agora a todos os homens e em todo lugar, que se arrependam” (At 17.30).

Obedecer à Palavra Revelada e aceitar a Jesus Cristo com Senhor e Salvador significa receber herança na glória celestial. A porção, todavia, de todo aquele que renega e desobedece a Deus e as Verdades contidas nas Escrituras, será o juízo eterno.

Qual será então, “O fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus? “OS rebeldes habitam em terra seca(Sl 68.6), e “serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes” (Mt 8.12), diz O SENHOR.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

DEUS LIBERTADOR



Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir; eu o aconselharei e cuidarei de você.

(Sl 32.8)

Conta-se a história de um contêiner que caiu ao mar deixando escapar 19 mil bichinhos de borracha. Meses depois um desses bichinhos foi encontrado no Alaska. Vez por outra, nas mais variadas praias do mundo surgiam outros. Estudiosos afirmam que 2000 mil desses brinquedos ainda estejam circulando pelos mares; muitos presos a redemoinhos, condenados a viajar sempre pelo mesmo caminho, girando pelas mesmas águas. Mas, uma mudança no clima, um maremoto, a presença de um grupo de tubarões ou baleias pode alterar a trajetória de alguns desses bichinhos. A diminuição desses itens de borracha no giro lhes garante a possibilidade de se libertarem. E, ainda que passem anos e anos girando pelas mesmas águas, um dia inevitavelmente encontrarão um caminho que os leve até a costa.


São muitos aqueles que viajando pelo mar da vida caem antes de chegar à segurança da praia, fazendo com que a viagem torne-se extremamente penosa. Alguns conseguem nadar rapidamente e se desvencilharem do perigoso mar. Outros, entretanto, nadam por anos e anos, chegando ao ponto de perderem a esperança. Ficam aprisionados pelos redemoinhos das dificuldades, das tentações, dos erros, dos vícios. Sentem-se como se estivessem condenados a viajar eternamente pelos mesmos caminhos. Deus, porém, é Aquele que muda o tempo e as estações, que move os meios, as situações e as pessoas para que nos ajudem a encontrar o verdadeiro caminho. O Senhor cuida, fortalece, endireita e torna perfeita as veredas dos Seus filhos. Seu nome é El Shaday, O Deus todo poderoso, que nos tira dos redemoinhos e nos leva para o porto seguro. Entreguemo-nos a Ele com confiança.


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

VÊ-LO, OUVI-LO E SEGUI-LO



 “Eu sou o bom pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. Assim como o pai me conhece a mim, também eu conheço o pai, e dou a minha vida pelas ovelhas”.
(Jo 10.14-15)
Geralmente ao lermos João 10 o que vem à nossa mente é que ele foi escrito com o único propósito de garantir a nossa eterna segurança; o que não deixa de ser verdade, uma vez que nos traz um imenso conforto. Ter a convicção de que somos as ovelhas do Bom Pastor, que deu a Sua vida para nos resgatar do poder das trevas e nunca nos abandonará é mais que suficiente para crer que em Suas mãos estaremos eternamente seguros.

Esse precioso capítulo destaca, não as ovelhas, mas volta-se para a grandeza, bondade e amor do PASTOR. Ele foi escrito para ilustrar o cuidado terno e constante que O Senhor Jesus tem pelo rebanho do Seu pasto; e para confirmar o que está escrito em Isaias 40.11: ”Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os braços, recolherá os cordeirinhos e os levará ao seu regaço...”. João, inspirado pelo Espírito Santo, nos revela a Sua Majestade, a melodia de Sua voz e consequentemente ao ouvi-la venhamos obedecê-la e nos rendermos a ELe.

No capítulo 9 lemos sobre o homem cego de nascença curado por Jesus e que foi expulso da sinagoga. Ele era uma dessas ovelhas, cujos olhos espirituais foram abertos. E quando mais tarde O Mestre o encontra pergunta-lhe: “- Você crê no Filho do homem? – Senhor quem é o Filho do homem para que creia nele? – Você já o viu! É Ele que está falando com você! – Eu creio Senhor. E se ajoelhou e o adorou.”. O padrão é exatamente este: olhar com os olhos da fé e reconhecer que de fato, Jesus é O Messias, O Salvador do mundo. Vê-Lo, ouvi-Lo, adorá-Lo e segui-Lo é o principio de nossa visão espiritual.  

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

SOMENTE A DEUS SEJA A GLORIA!



“Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebestes, porque te glorias, como se não o houveras recebido?”
(1 Co 4.7)
Jhann Sebastian Bach (1685-1750), um dos maiores compositores de todos os tempos, tinha fé e uma grande humildade acompanhada pela consciência da majestade de Deus. Não era por simples costume que terminava suas obras agregando as iniciais S.D.G – Soli Deo Gloria: somente a Deus seja a glória. Em seus manuscritos frequentemente também se acham as letras J.J: Jesus Juvat – Jesus ajuda.

Um biógrafo notou que em suas obras “Bach nunca esqueceu o que significavam as expressões ‘pecado’, ‘culpa’, ‘morte’ e experiência do efêmero’”. Por isso as expressava com força no tocante ao perdão divino.

Sua biblioteca era composta de livros de teoria musical e escritos cristãos. Os primeiros foram conservados por seus filhos, mas, por falta de interesse, o mesmo não sucedeu aos livros cristãos. Somente uma Bíblia reapareceu tempos depois nos Estados Unidos. É uma edição de 1681, em três volumes, traduzidas por Marinho Lutero. Nas margens havia anotações de Bach.

Alegra-nos muito saber que esse gênio da música era um crente piedoso. Seu talento o fez grande na terra, mas sua fé o fez humilde e lhe permitiu se beneficiar da graça de Deus. Sua fé também o capacitou para o céu e a eternidade. Por meio de sua obra musical também glorificou a Deus, Sua música ressoará enquanto houver terra, sua fé ressoará enquanto houver céus!
 (Transcrito  Boa Semente - devocional 2011)

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

CONVERTIDOS DE TODO CORAÇÃO!



“Eles se voltam, mas não para o Altíssimo”
(Oséias 7.16)

A afirmação acima oculta o engano de muitas pessoas. É muito comum vermos em nossas igrejas irmãos que participam e comungam das mesmas coisas, que parecem ter prazer em seguir a Jesus e que não apresentam nenhuma diferença entre os verdadeiros cristãos. Aos poucos, entretanto, começamos a perceber que já não vêm mais aos cultos e finalmente voltam para o mundo. Demas foi um exemplo disso. Ele chegou a andar com Paulo, era o seu auxiliar, mas, em 2 Tm 4.10, o apóstolo faz a seguinte declaração: “Porque Demas, tendo amado o presente século, me abandonou e se foi para Tessalônica...”  A causa disso certamente foi o autoengano. Precisamos ter muito cuidado com isso! Temer e tremer ante a Palavra de Deus e estar convencido de que somos pecadores, não valerá absolutamente nada se verdadeiramente não nos convertermos ao Senhor Jesus.

O rei Herodes é outro modelo a quem não devemos imitar. Sentia um profundo temor a João Batista por saber que se tratava de um homem santo e piedoso, mas, ainda assim, mandou que o prendessem. Apreciava suas pregações e até aceitava algumas coisas do que falava. Todavia, por ter um coração dividido, Herodes preferiu satisfazer um capricho da filha de sua mulher e encerrou João Batista em uma masmorra.

É grande o número de pessoas, que pelo simples fato de manterem proximidade com homens de Deus, pensam que está tudo resolvido em suas vidas. Ledo engano! Geasi, servo do profeta Eliseu, não se desgrudava do seu senhor, mas, isso não foi o suficiente para que na primeira oportunidade, mentisse para satisfazer a sua ganância. O jovem rico (Mt 19), embora fosse um homem religioso, não abriu mão de sua riqueza para seguir a Jesus. Resta-nos então, fazer uma reflexão e responder a seguinte pergunta: estamos realmente convertidos a Cristo de todo coração e com toda a nossa alma? 

 “... que é que o Senhor, teu Deus, pede de ti, senão que temas o Senhor, teu Deus, e que andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor, teu Deus, com todo o teu coração e com toda a tua alma, para guardares os mandamentos do Senhor e os seus estatutos que hoje te ordeno, para o teu bem?
(Dt 10.12)